Como Funciona o Plano de Saúde Empresarial | Coparticipação

Um dos temas mais buscados quando falamos de convênio médico é o plano de saúde empresarial. Será que esta modalidade é vantajosa? E quando falamos em coparticipação, vale a pena? O Saúde é um Plano traz todas essas respostas para você. 

O que é um plano de saúde empresarial?  

Conceitualmente, um plano de saúde empresarial é aquele voltado para os funcionários de uma empresa, que tem como principal objetivo proporcionar o acesso aos serviços de saúde.  

Este tipo de benefício não é obrigatório, mas a empresa pode contratar uma rede credenciada e oferecer o plano ao trabalho e seus dependentes.  

Sendo assim, o plano de saúde empresarial funciona da seguinte maneira: o empregador busca uma operadora de plano de saúde que disponibiliza a sua rede de serviços, pagando um valor mensal pela sua utilização.  

Nesse sentido, o plano de saúde empresarial pode abranger tanto os colaboradores ativos, quanto aposentados, tal como os seus dependentes, e estes detalhes estão descritos no contrato de prestação de serviços.  

Como funciona o plano de saúde empresarial?  

Conforme dito acima, o plano de saúde empresarial é um benefício concedido aos trabalhadores e seus dependentes, os quais podem fazer uso da rede credenciada, conforme o disposto no contrato.  

Entretanto, existem alguns detalhes que fazem a diferença neste convênio médico, sendo eles:  

  • faixa etária dos trabalhadores e seus dependentes;  
  • estado civil e quantidade de filhos;  
  • gênero dos funcionários;  
  • funcionários que apresentam quadros de doenças crônicas.  

Todos esses detalhes são importantes para poder escolher qual a melhor opção de pacote de saúde empresarial, e se a coparticipação é viável ou não para esta realidade.  

Além disso, fatores como a abrangência territorial do serviço coparticipação, sinistralidade, cobertura do plano, reembolso, reajuste e carência do plano também fazem a diferença, e vamos falar sobre cada uma delas a seguir.  

Benefícios do plano saúde empresarial

  • plano oferecido por uma instituição empresarial aos seus colaboradores, possibilitando a inclusão de dependentes até 2° entre cônjuges e companheiros; 
  • o pacote empresarial coletivo é oportunizado ao colaborador, a partir do início de seu exercício, ainda mais a administração do plano e a definição de coberturas são estabelecidas pela empresa; 
  • em referência aos valores, a companhia pode sugerir total cobertura com as despesas, como também, oferecer a coparticipação. Isto é, o beneficiário contribui com um valor percentual a sua utilização;
  • além de tudo, empresas que decidem promover o benefício, são gratificadas com a redução significativa no imposto de renda;  
  • outro destaque é a oportunidade de assistência médica ofertada pelo pacote, no campo de serviço da empresa, isto é atendimento constante com a saúde dos funcionários. 

Abrangência territorial do plano  

Em um plano de saúde empresarial, é fundamental observar a abrangência territorial do plano, que podem ter abrangência regional ou nacional.  

Sendo assim, a empresa deve considerar a frequência com que o funcionário viaja, tal como as localidades, principalmente em casos de funcionários que viajam a trabalho.  

Este quesito faz toda a diferença, principalmente no valor do plano, e por isso a empresa deve avaliar este detalhe.  

Coparticipação  

Outro quesito com diferencial no valor do plano de saúde empresarial é a coparticipação, sendo uma das opções para tornar o plano de saúde mais viável, principalmente no sentido financeiro, já que é paga uma mensalidade e um percentual de cada procedimento.  

Estes custos podem variar de acordo com o tipo de procedimento, seja ele consulta ou exame, ou ainda, a empresa escolhida para a prestação do serviço.  

Contudo, esta alternativa pode não ser muito viável em casos em que os colaboradores utilizem o plano de saúde com frequência, podendo sair até mais caro do que um pacote com mensalidade fixa.  

Sinistralidade  

Outro aspecto que deve ser avaliado no momento de escolher um plano de saúde empresarial é a sinistralidade, que está associada com o preço do plano de saúde em si.  

A sinistralidade é a taxa cobrada pelas operadoras de planos de saúde para atender ao quantitativo de funcionários de cada organização.  

Esse valor deve ser avaliado para que o plano de saúde empresarial não saia caro demais, oferecendo risco à saúde financeira, tanto da empresa quanto dos seus colaboradores. 

Cobertura do plano  

A cobertura diz respeito aos procedimentos que estão inclusos no plano de saúde e que podem ser utilizados pelos funcionários.  

Sendo assim, os serviços geralmente oferecem as seguintes coberturas:  

  • cobertura ambulatorial;  
  • hospital com e sem obstetrícia;  
  • segmentação referência;  
  • plano odontológico.  

A cobertura ambulatorial oferece os serviços mais procuras pelos planos de saúde, que são as consultas e especialidades médicas, tal como os exames e demais tratamentos, sendo considerada a mais essencial e fundamental, já que são a base do cuidado com a saúde. 

Já a cobertura hospitalar abrange os recursos de internações e atendimentos em pronto-socorro, tal como assistência ao parto e o período pós-parto.  

Entretanto, é possível que os planos com cobertura hospitalar e segmentação referência sejam mais caros do que os demais, já que contam com as acomodações como quarto ou enfermaria.  

Reembolso e reajuste do plano de saúde empresarial

Planos de saúde com reembolso permitem que o colaborador escolha a melhor opção para prestar o serviço de saúde, mesmo que este não esteja compondo a rede credenciada.  

Dessa forma, o funcionário realiza o pagamento do prestador e a operadora do plano de saúde o reembolsa, dentro de um período de 30 dias.  

Outro detalhe que faz a diferença nos valores do plano de saúde empresarial são os reajustes. Comumente, esta ação é feita anualmente. No caso do plano empresarial, o ajuste é realizado com base no número de vidas que a empresa possui em seu quadro de funcionários, ou ainda, com base na faixa etária.  

Acomodação disposta pelo plano empresarial  

Normalmente, os planos de saúde contam com dois tipos de acomodação, que é o quarto ou enfermaria.  

Nos quartos, o cliente possui maior privacidade, conforto e direito a acompanhante em caso de internações e emergências.  

Já no caso da enfermaria, o funcionário divide o quarto com mais 02 (duas) ou 03 (três) pessoas, e não tem direito a acompanhantes.  

Claramente, pacotes de saúde que abrangem quartos custam um pouco mais caro do que os que oferecem enfermarias, e por isso é importante estar atento aos detalhes para não encarecer o serviço. 

Carência do plano de saúde empresarial

É comum que muitas pessoas escolham um plano de saúde com um longo período de carência, e quando precisam, são surpreendidos com a notícia de que não podem utilizar o serviço para aquele procedimento.  

O período de carência é o tempo no qual o beneficiário, no caso o trabalhador, deve esperar para poder usufruir do seu convênio médico. 

Dependendo do pacote de saúde, o período de carência pode abranger procedimentos como diagnósticos de imagem, ultrassom, serviços de parto, cirurgias e alguns atendimentos de urgência.  

Inclusão de plano odontológico 

planos empresarial com dentistas
Inclua um Plano Odontológico ao seu Plano de Saúde Empresarial

Este detalhe é um dos que fazem diferença no quesito confiabilidade e benefícios empresariais, estando diretamente relacionado à área de Recursos Humanos das companhias. 

O plano odontológico não é um serviço obrigatório, sendo uma vantagem adiciomal, que quando incluída no plano de saúde, influência pouco no valor da mensalidade.  

Plano de saúde empresarial com coparticipação: vale a pena?  

Nesse sentido, vamos falar sobre os planos de saúde com coparticipação. Este tipo de serviço se popularizou no mercado pela possibilidade de pagar mais barato em um plano de saúde.  

A principal característica de um convênio médico com coparticipação é que além da mensalidade do plano, o cliente paga um percentual sob cada procedimento e serviço utilizado.  

Sendo assim, este pacote é completamente atrativo pela sua mensalidade ser muito mais baixo do que os planos convencionais.  

Além disso, os planos com coparticipação podem ter descontos relativamente satisfatórios, além de ter uma mensalidade mais barata do que os serviços tradicionais.  

Entretanto, os pacotes empresariais com coparticipação realizam os descontos dos serviços utilizados diretamente na folha de pagamento, o que pode não ser tão viável para os colaboradores. 

Contudo, o aspecto que irá determinar se esta opção é viável ou não para a empresa é a frequência com o que funcionário faz uso do plano de saúde, já que são pagos valores a mais por cada procedimento.  

Portanto, é importante avaliar qual alternativa disponibiliza o maior custo-benefício, para não escolher um plano que inicialmente se proponha a ser barato e no final saia muito mais caro.  

Conclusão!

De modo geral, o plano de saúde empresarial pode ser extremamente vantajoso, tanto para a empresa quanto para os funcionários.  

Para a companhia, o plano de saúde pode servir como mecanismo de isenção fiscal, além de influenciar diretamente na produtividade e qualidade de vida do colaborador  

Entretanto, é importante que a empresa avalie a viabilidade do plano de saúde, principalmente no que se trata da coparticipação, que pode oferecer custos a mais no serviço. 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Suporte

Endereço Av.Brasil, 09, São José, Macepá-AP

Atendimento

Tire suas dúvidas com nosso atendimento

Fale pelo WhatsApp

SAÚDE É UM PLANO - CNPJ: 00.000.000/0000-00